ANIVERSÁRIO DO IFRR – Palestra sobre doação de sangue e de medula óssea marca lançamento de campanhas sociais

por Virginia publicado 09/05/2018 17h05, última modificação 24/05/2018 14h38
Além da palestra, o Hemoraima disponibilizou o serviço de cadastramento no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome)

O Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV-IFRR) deu início, na noite desta terça-feira, dia 8, às campanhas de caráter social, como parte da programação alusiva ao aniversário de 25 anos do IFRR e de 10 anos dos institutos federais, com a campanha de Doação de Sangue e de Medula Óssea, que tem como slogan “IFRR numa corrente solidária”. O início da campanha, no CBV, foi marcado pela realização da palestra, com o mesmo tema, ministrada pela assistente social do Hemocentro de Roraima (Hemoraima) Edna Félix.

Palestra – Durante a palestra, ministrada aos alunos dos cursos da área da saúde – Técnico em Análises Clínicas, Técnico em Enfermagem, Tecnologia em Gestão Hospitalar, Licenciatura em Ciências Biológicas –  e também aos estudantes venezuelanos do curso de Português para Imigrantes, a profissional do Hemoraima explicou os critérios para ser um doador;  quem está impedido de doar; as etapas a serem seguidas para a doação: cadastramento, triagem clínica e hematológica, todas com criteriosa avaliação; os procedimentos a serem adotados tanto pelos hemocentros quanto pelos próprios doadores após a doação; e a periodicidade da doação. A palestrante destacou também a importância de as instituições promoverem essas ações de cunho social por uma causa nobre que salva vidas.

Para a diretora-geral do CBV, professora Joseane de Souza Cortez, aqueles que precisam de doação enfrentam um verdadeiro drama, principalmente por saberem que, por vezes, há o desabastecimento do estoque do Hemoraima. “Nossa intenção é que, após a palestra, todos se sintam motivados a se cadastrar como doadores, inclusive de medula óssea. Que sejamos permanentes parceiros do Hemoraima, que tem a missão de promover a saúde, a vida,  e que, sobretudo, possamos nos unir nessa corrente solidária”, enfatizou.

Redome – Outro serviço trazido pelo Hemoraima foi o cadastramento no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) para alunos e servidores. A acadêmica Simone Katiele Brito Cantanhede, do 3.º módulo do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, é doadora de sangue e de medula óssea e diz que vem de uma família de doadores. Foi seguindo o exemplo do pai, que, aos 18 anos, tomou a decisão de também ajudar a salvar vidas. Ela diz ainda que a oferta de palestras como essa é de extrema importância para a formação social dos acadêmicos.

“Apesar das diversas campanhas realizadas pelos órgãos competentes e pela mídia, para muitas pessoas esse tema é algo muito distante de sua realidade, como se ninguém fosse precisar de doação um dia. No entanto, qualquer um, por alguma fatalidade, pode precisar. Por meio dessas palestras, temos a oportunidade de obter informações mais aprofundadas sobre o assunto e, assim, nos sentirmos motivados a ajudar. Minha irmã já precisou de doação de sangue e, graças aos doadores, ela foi atendida, teve a saúde restabelecida e hoje está junto de nós. Digo sempre que ajudar a quem precisa é uma obrigação e deve ser uma atitude natural do ser humano, não porque é bonito, não para se autopromover, mas porque essa é uma função social e temos que ser úteis para alguém. Penso que esse é nosso principal papel”, opinou Simone.

Victória Oliveira Sobral estuda no 1.º módulo do curso de Tecnologia em Gestão Hospitalar e aproveitou o cadastramento realizado pelo Hemoraima para se tornar uma possível doadora de medula. Ela, assim como Simone, já teve alguém na família que precisou de doação de sangue e, por isso, vê esse assunto como algo de fundamental importância. “Minha mãe teve câncer e precisou fazer uma transfusão de sangue. Já perdi também um amigo que precisava da doação de medula, mas acabou falecendo por não ter ninguém da família ou pessoa próxima compatível. Vejo também muitos pacientes no HGR, onde realizo visitas constantemente, que precisam de doação. Diante de tudo isso, e devido ao que aprendi na palestra, principalmente vendo o vídeo que foi exibido, fiquei bastante emocionada. Então, por que não doar, já que temos algo superimportante pra dar à outra pessoa, que é o nosso sangue?”, disse a estudante.

Comemorações – A programação alusiva às datas festivas será realizada ao longo de 2018 e seu lançamento oficial ocorrerá no dia 4 de junho, na Reitoria do IFRR, com a presença de gestores e servidores de todos os campi, da Capital e do interior. Os campi também realizarão diversos eventos direcionados às comunidades interna e externa, os quais marcarão essas comemorações.

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista
9/5/2016