Connepi é iniciado com discussão acerca das políticas de inovação como incentivo ao desenvolvimento nacional

por Virginia publicado 07/12/2016 11h30, última modificação 07/12/2016 17h01
Alunos e professores-pesquisadores dos institutos federais de vários estados reuniram-se, na noite desta terça-feira, dia 8, no Hotel Ritz Lagoa da Anta, em Maceió, para a abertura oficial do IX Congresso Norte-Nordeste de Pesquisa e Inovação Tecnológica (Connepi 2016). A solenidade foi marcada pela apresentação cultural do Corpo de Balé Folclórico de Alagoas Transart, que encantou o público presente com o tradicional maracatu, e também pelas discussões acerca da relevância das pesquisas desenvolvidas na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica (Rede EPT)

Alunos e professores-pesquisadores dos institutos federais de vários estados reuniram-se, na noite desta terça-feira, dia 8, no Hotel Ritz Lagoa da Anta, em Maceió, para a abertura oficial do IX Congresso Norte e Nordeste de Pesquisa e Inovação Tecnológica (Connepi 2016). A solenidade foi marcada pela apresentação cultural do Corpo de Balé Folclórico de Alagoas Transart, que encantou o público presente com o tradicional maracatu, e também pelas discussões acerca da relevância das pesquisas desenvolvidas na Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica (Rede EPT).

Participaram da solenidade reitores dos institutos federais, diretores, coordenadores da Rede EPT e gestores do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), o organizador do evento. O coordenador do Connepi e pró-reitor de Pesquisa e Inovação Tecnológica do IFAL, professor Carlos Henrique Almeida Alves, destacou o empenho da equipe do instituto para a realização do evento. “É uma honra para nós, do Instituto Federal de Alagoas, passados seis anos, sediarmos mais uma vez o Connepi, pois as discussões aqui suscitadas servirão, sobretudo, para o engrandecimento da pesquisa. Sabe-se que as políticas de inovação representam um desafio para a rede, principalmente diante dos parcos recursos, mas momentos como este nos fortalecem para seguir em frente”, explicou.

Carlos Henrique frisou ainda que esta edição do Connepi já bateu alguns recordes em relação às edições anteriores. Foram 3.260 inscritos, 4.470 artigos submetidos para avaliação, 1.819 pôsteres, 282 apresentações orais, 10 minicursos, 15 desafios de ideias, 18 institutos federais na Mostra Tecnológica, 45 professores reunidos nas mesas-redondas, 46 professores participando das apresentações dos projetos de intervenção pelo Programa Professor para o Futuro e mais de 2 mil pessoas em todas as atividades da programação. “Este evento é muito maior que todas as dificuldades que se apresentaram no curso de sua organização, pois representa uma oportunidade para o intercâmbio de ideias, de trocas de experiências”, complementou.

O secretário de Estado da Saúde de Alagoas, Pablo Viana, que representou o governador do estado, disse que o governo tem apoiado as ações do Ifal e assim continuará fazendo, uma vez que os institutos representam espaços de promoção do conhecimento científico. “Observamos o crescimento e o desenvolvimento da rede federal, principalmente por meio de momentos de discussões e diálogos como o Connepi, durante o qual diversos temas relevantes são debatidos com o fim de implementar melhorias no ensino”, enfatizou.

Na opinião de Marcelo Bender Machado, presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica (Conif), os institutos federais estão acima da média em relação às demais escolas da rede federal e das redes estaduais devido a vários aspectos. “O trabalho realizado na área da pesquisa acadêmica e aplicada, na área da inovação tecnológica e na área da extensão é diferenciado e impacta diretamente o resultado da formação de nossos alunos, os quais, com os laboratórios e demais espaços acadêmicos, visitas técnicas, têm garantido a formação integral. Tudo isso agrega valor à rede federal”, destacou.

Segundo Eline Neves do Nascimento, secretária de Educação Profissional e Tecnológica (Setec-MEC), deve-se promover o desenvolvimento da pesquisa, da extensão e da inovação tecnológica, garantindo recursos e integrando todos que compõem a rede federal, pois, apesar da história recente, a Rede EPT tem impulsionado o desenvolvimento científico e tecnológico. “O Connepi tem justamente essa finalidade de promover o diálogo dos IFs com o setor produtivo, estimulando, inclusive, o empreendedorismo”, disse.

O reitor do Ifal finalizou sua participação na discussão ressaltando o nível das pesquisas desenvolvidas no âmbito da rede federal como fator decisivo para o avanço científico e tecnológico.

Palestra – Fernando Peregrino ministrou a palestra de abertura, com o tema “Políticas de inovação como incentivo ao desenvolvimento nacional”, apresentando um panorama do Brasil e os entraves para o avanço da ciência e da tecnologia. Peregrino é diretor executivo da Fundação Coppetec e vice-presidente do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino e de Pesquisa (Cofies).

O evento segue até a próxima sexta-feira, dia 9, com palestras, mesas-redondas, minicursos, comunicações orais, apresentações de projetos de intervenção, do Programa Professor para o Futuro, mostra de pôsteres, mostra tecnológica, desafios de ideias, exposições dos institutos federais, com trabalhos desenvolvidos nas diversas áreas do conhecimento: ciências exatas, ciências da terra, ciências agrárias, ciências sociais aplicadas, ciências humanas, engenharias, linguística, letras e artes, ciências da saúde, ciências humanas, ciências biológicas.

Estão sendo realizados também, durante o Connepi, alguns encontros e reuniões: Encontro de Assistência Estudantil do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Reunião de Coordenadores dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) e Reunião do Conselho de Editores Científicos dos Institutos Federais, responsáveis pela editoração das revistas científicas produzidas no âmbito da Rede EPT.

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista Centro na cobertura do Connepi 2016
8/12/2016