PROJETO DE EXTENSÃO – Atletas do projeto Karatê-Do são destaque em campeonato

por Virginia publicado 24/07/2019 10h15, última modificação 24/07/2019 10h15
Os atletas do IFRR conquistaram várias medalhas na 5ª Copa Ichiban de Karatê, que integra a 3ª etapa do Circuito Roraimense de Karatê. O evento ocorreu no último fim de semana, no Ginásio Hélio Campos.

Os atletas do projeto de extensão Karatê-Do, do Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV-IFRR), conquistaram várias medalhas na 5ª Copa Ichiban de Karatê, que integra a 3ª etapa do Circuito Roraimense de Karatê. O evento ocorreu no último fim de semana, no Ginásio Hélio Campos.

Alguns atletas participaram pela primeira vez da competição, mas a falta de experiência não intimidou os karatecas, que conquistaram ótimas colocações. Outros confirmaram o favoritismo e trouxeram o ouro para o IFRR. É o caso de Luís Gustavo Nascimento, que representará o IFRR na final do Campeonato Brasileiro de Karatê, na categoria kata. A data e o local do evento ainda não foram definidos, mas, diante dos excelentes resultados alcançados nas competições estaduais, os técnicos acreditam que o estudante tenha grandes chances de conquistar um lugar no pódio.

Coordenado pela diretora de Extensão do CBV, professora Marilda Vinhote Bentes, o projeto vem sendo ampliado e está ganhando visibilidade. “Confesso que é emocionante assistir às aulas, observar os alunos pequenos, a partir de cinco anos de idade, se esforçando para aprender, seguindo as regras e a disciplina. Ouvindo os pais falarem como os filhos ficam comprometidos em não faltar aos treinos e em não chegar atrasados, percebendo que nossos acadêmicos avançam ao colocar em prática os ensinamentos adquiridos em sala de aula, aprimorando suas atuações como futuros docentes, percebemos como esse projeto é importante em várias frentes. A cada comemoração pelos bons resultados, nos sentimos gratificados, pois reforçamos o nosso papel como instituição preocupada com sua responsabilidade social”, disse Marilda.

Equipe – Outra novidade do projeto em 2019 é o processo de filiação à Federação Roraimense de Karatê (FRK), além do apoio de novos colaboradores, como o diretor-técnico da FRK, o sensei Everaldo Bezerra, que agora é o responsável técnico do projeto. A senpai Thannara Útana Isis Silva de Souza permanece atuando como monitora voluntária, assim como os acadêmicos do curso de Licenciatura em Educação Física Wesley Mendes Souza e Dryelle Silva Souza Nascimento, que trabalham como extensionistas.

“Meu papel como senpai é orientar os alunos, ensinando-os as técnicas básicas, as condutas e a filosofia dessa arte marcial, incentivando-os a ver o karatê como atividade física que promove a melhoria da qualidade de vida. Outra peculiaridade do karatê é que, por meio dele, ensinamos normas de conduta, inclusive com foco nos estudos, pois, com a prática, os alunos passam a ter melhores rendimentos na escola e também melhoram a relação familiar. A disciplina que eles devem ter no dojô reflete-se na vida pessoal tanto da criança como do jovem, bem como do adulto, que fazem parte do projeto. Sempre digo a eles que o importante é dar o máximo de si, aplicar as técnicas, se desenvolver e evoluir como atleta e como pessoa, independentemente do resultado”, explicou Thanara.

Karatê-Do – O projeto teve início em 2018 e seu objetivo principal é promover o crescimento e o desenvolvimento harmônico das potencialidades psicomotoras, cognitivas, afetivas, além de proporcionar a integração social por meio dos fundamentos básicos da modalidade de karatê.

“O Karatê-Do é um projeto de extensão de cunho social que articula as áreas de educação e esporte, algo fundamental nos dias de hoje, pois a população brasileira vivencia a falta de interação com seus pares e o aumento do sedentarismo, prejudicando o desenvolvimento afetivo, social e físico. Essa rotina resulta em doenças diversas, além de outros problemas como o uso de drogas, depressão, suicídio, ansiedade e evasão escolar, aliados a vários fatores: ociosidade, problemas emocionais, além de conflitos familiares. Em meio a esse universo de problemas sociais, propõe-se, como forma de superação, a prática do karatê, que, além de trazer benefícios para o corpo e a mente, propicia cooperação, a criatividade, a disciplina e o espírito de equipe, elementos essenciais para o processo de desenvolvimento humano”, explicou Marilda.

Público-alvo – O projeto atende alunos a partir dos cinco anos, sem limite de idade. É aberto à comunidade, e as aulas ocorrem às terças, às quintas e às sextas, a partir das 19 horas, no CBV.

Para Luna Silva de Vasconcelos Arruda, 9 anos, categoria Kumite Sub10 8/9 anos, o karatê representa mais que uma arte marcial. É uma filosofia de vida. “Estou feliz por praticar essa arte marcial e por ela ter mudado minha vida. Antes eu me sentia desmotivada, entediada; hoje não mais. Pretendo continuar focada, mudar de faixa, pois a minha técnica fez com que eu visse o dojô, área em que se treinam as artes marciais, de outra forma, com respeito. E participar dos campeonatos é uma empolgação, é realizar um sonho”, disse a pequena atleta.

Márcia Souza da Silva, mãe da Luna, diz que o karatê é uma inspiração para as duas. Ao inscrever sua filha no projeto, jamais pensou que, como mãe, fosse se envolver tanto, vivenciar as emoções, junto com a menina, torcer, mas afirma que isso é impossível, pois é contagiante. “Hoje faço parte do projeto, assim como minha filha. Vivemos uma nova etapa, pois ela ficou mais resistente, saudável e determinada. Até os problemas de saúde que antes a afetavam deixaram de existir. Luna passou a ser mais disciplinada com relação aos compromissos e passou a ter uma postura do corpo mais adequada. Ela não mede esforços para frequentar as aulas. E uma das grandes motivações é a senpai Thannara, pois demonstra amor pelo trabalho que realiza. Estou muito orgulhosa da minha filha, não apenas pelo resultado no campeonato mas também pelas mudanças que ela vem apresentando. O projeto mudou a vida dela”, relatou emocionada dona Márcia.

Veja os resultados das competições:

Luna Arruda – Categoria Kumite Sub10 8/9 anos -30 kg (3º lugar);

Erivelton Galvão – Categoria Kumite Cadete 14/15 anos -52 kg (2º lugar);

Donlove Honole (imigrante haitiano) – Categoria Kumite Cadete 14/15 anos +70 kg (1° lugar);

Luís Gustavo Nascimento – Categoria Kumite Sub12 10/11 anos -30 kg (1º lugar);

Herick Barbosa – Categoria Kumite Cadete 14/15 anos -63 kg  (5º lugar);

Cláudio Novo Romeiro – Categoria Kumite Sub14 12/13 anos +45 kg (5º lugar)

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista
24/7/19