V FORINT - Doutores da Informática integram programação do evento

por Virginia publicado 17/11/2016 11h10, última modificação 17/11/2016 14h56
A 5ª edição do Fórum de Integração do Instituto Federal de Roraima (Forint) – Integrando saberes: o sentido e a identidade do IFRR –, que será realizada no período de 28 a 30 de novembro, no Campus Boa Vista Centro, traz como novidade a Mostra Tecnológica, com apresentação dos resultados parciais e/ou finais de projetos de pesquisa, desenvolvidos nos campi, que visam a proposições de alternativas e soluções tecnológicas para diversas situações ou problemas enfrentados pela sociedade

A 5ª edição do Fórum de Integração do Instituto Federal de Roraima (Forint) – Integrando saberes: o sentido e a identidade do IFRR –, que será realizada no período de 28 a 30 de novembro, no Campus Boa Vista Centro, traz como novidade a Mostra Tecnológica, com apresentação dos resultados parciais e/ou finais de projetos de pesquisa, desenvolvidos nos campi, que visam a proposições de alternativas e soluções tecnológicas para diversas situações ou problemas enfrentados pela sociedade.

Um dos projetos é o Doutores da Informática, que, neste ano, em sua 3ª edição, utilizou a computação como modelo de transformação e melhoramento da saúde brasileira. Diante desse desafio, coube aos oito grupos de alunos das turmas de 2.º ano do curso Técnico em Informática integrado ao ensino médio a missão de apresentar casos de sucesso e metodologias práticas de como a computação pode, e deve, se integrar às novas estratégias de ensino no Brasil e no mundo.

A Mostra do Projeto Doutores da Informática 2016 foi realizada no dia 14 de outubro, no hall da Coordenação de Assistência ao Estudante do Campus Boa Vista Centro (Caes-CBVC), nos três turnos de aula, o que propiciou o conhecimento do projeto por alunos de vários cursos.

De acordo com o professor Vinícius Tocantins, coordenador do projeto, para nortear os problemas da saúde, partiu-se da apresentação dos fatos sobre o Sistema de Saúde no Brasil. “A intenção é que os alunos utilizem suas vivências de sala de aula em prol da resolução de problemas da sociedade, por meio da pesquisa aplicada. Pontos como melhoras no atendimento ao paciente e gestão de hospitais e clínicas serão suscitados e debatidos”, explicou.

Histórico – Com três anos de existência, o Projeto Doutores da Informática visa à aproximação dos alunos do 2.º ano do curso Técnico em Informática com a comunidade em geral. Visa ainda simplificar os conhecimentos técnicos e estimular a computação como instrumento de criatividade e inovação tecnológica no Brasil.

“Esses projetos apresentados são protótipos. Eles serão amadurecidos durante o ano de 2017 e poderão ser utilizados nos projetos de startups no último ano do curso, incentivando-se assim a pesquisa aplicada, a construção de protótipos e o empreendedorismo. Portanto, trata-se de um projeto anual das turmas de 2.º ano do curso Técnico em Informática. Após os alunos encerrarem a participação no Doutores da Informática, terão a oportunidade de amadurecer o protótipo no próximo ano”, acrescentou o professor.

Vamos agora conhecer um pouco dos projetos da 3ª edição do Doutores da Informática:

Epidemus – Desenvolvido pelos alunos Raí Santana, Lydia Berger, Victória Castilho, Lucas Daniel Freitas, Marcos Paulo de Souza, Jhyovane Almeida, George Zambonim e Lara Cardoso, o Epidemus consiste em um jogo que tem a finalidade de informar sobre cada doença, sintomas e formas de tratamento. “Nele, o jogador aprende sobre as causas das doenças, os sintomas e o tratamento mais indicado. Funciona da seguinte forma: os ataques são realizados pelas doenças por meio das cartas. O jogador ataca seu oponente, que sofrerá um dano. O atacante recebe um valor (bônus) para se defender de futuros ataques. Assim, o objetivo é atacar até que a saúde do alvo chegue a um valor zero”, explicou Lydia Berger.

Banco de Sangue de Roraima – O site foi desenvolvido pela equipe Rennedy Wendel da Silva, Karen Geovana Furtado, Maria Elmira Buaz, Rayna Cristina Rodrigues, Isabela Carvalho, Luan Almeida e Sara Rodrigues. “Verificamos que a maioria dos doadores afirma que passa por uma longa e enfadonha entrevista quando vai doar sangue e acaba perdendo muito tempo com isso. Para resolver o problema, criamos um banco de sangue virtual no qual o doador pode fazer o pré-cadastro e, quando chegar ao Hemocentro, ser encaminhado diretamente para fazer os exames”, explicou Rennedy Wendel. Os alunos relataram que encontraram um projeto semelhante em São Paulo, mas que a ideia é inovadora, uma vez que em Roraima não há esse tipo de iniciativa. Ainda de acordo com os estudantes, o serviço também poderá emitir um aviso ao doador quando este estiver apto a doar novamente, bem como agendar o dia e o horário da doação.

Pro-Pharma Boa Vista – Os desenvolvedores do site são os alunos Alexandre Costa, Matheus Galeão, João Lacerda, Elias Freitas, Ana Oliveira, Albertina Kezia, Lucas Lima e Emerson Reis. “Após as pesquisas nos postos de saúde locais, percebemos que há a necessidade de um melhor gerenciamento e distribuição de medicamentos, não só em Boa Vista, mas também nas demais capitais do estado. O sistema irá aperfeiçoar o cadastro dos medicamentos, o registro e o controle da entrada e da saída, bem como o controle dos postos que estão com o estoque alto e os que estão com falta de determinado medicamento. Isso para oferecer um melhor serviço e até comodidade ao paciente, que, ao chegar ao posto de saúde, não escutará mais aquela velha frase “Acabou o remédio”, esclareceu Alexandre. Outro diferencial do Pro-Pharma é a ferramenta de busca que agiliza ainda mais o serviço. “É uma ferramenta simples e prática que permite a comunicação direta entre os postos de saúde, cumprindo assim o papel da informática na sociedade”, disse Matheus.

Saúde Localiza – A equipe que idealizou e desenvolveu o site Saúde Localiza é formada pelos alunos Anna Beatriz Teixeira, Antônio Duarte, Alliel Macena, Rebeca Dias, Mariana Cardoso, Lílian Geovana Saraiva e Thiago dos Santos. “O objetivo principal do nosso projeto é permitir a localização exata do endereço dos postos de saúde pelos usuários e apresentar os serviços que os postos oferecem, pois sabemos que é muito difícil se deslocar até os postos e, muitas vezes, não encontrar o serviço que se procura. Outra questão é que muitas pessoas que não residem em Boa Vista, como os turistas, não sabem onde fica o posto de saúde mais próximo. Diante disso, resolvemos criar esse site, pois não há aplicativos que atendam a essa necessidade”, disse Anna Breatriz.

Nutrição em Dia – A solução foi criada pelos alunos Lucas Souza, Gabriel Veras, Vinícius Oliveira, Manoel de Jesus, Iran Cesar Amorim, Leonardo Morais, Eliza Alves e Eduardo Leocádio. “O objetivo é informar as pessoas da importância da nutrição para uma melhor qualidade de vida, por meio do cálculo do índice de massa corporal e, de acordo com o resultado, propor uma dieta. A avaliação ou diagnóstico é feito mediante o preenchimento de um questionário eletrônico, e o programa faz a análise dos dados informados e emite o resultado. Ressalto que o site não oferece orientação para quem quer somente ganhar massa muscular, ficar com hipertrofia. Ele orienta o usuário a ter uma nutrição saudável, a adquirir bons hábitos e a obter melhoria da qualidade de vida”, resumiu Lucas.

VitalifeOs idealizadores do projeto são Lucas Duarte, Paulo Braga, Ruan Renes Monteiro, Patrícia Melo, Mércia Lopes, Marta Hesse e Yasmin Campos. O site possui informações sobre as vitaminas em geral, destacando as essenciais, indicando os alimentos em que cada tipo de vitamina está presente e apontando as doenças que podem surgir com a falta de vitaminas. “Nossa proposta é fazer com que as pessoas substituam as cápsulas de vitaminas pelos alimentos naturais, uma vez que o organismo se acostuma com a medicação, dado o uso prolongado, e, com o passar do tempo, ela não faz mais efeito. Do contrário, se você consome um alimento rico em vitaminas, todos os dias, os benefícios e/ou efeitos serão mantidos e o organismo aceitará a alimentação natural como se fosse algo novo”, esclareceu Ruan. Outro problema identificado com o uso constante de uma mesma medicação é o surgimento de doenças. “Por exemplo, o uso constante da vitamina C pode causar cólicas abdominais, além da perda da eficácia”, acrescentou.

Healt PotionAssim como o site Banco de Sangue de Roraima, citado anteriormente, o Healt Potion apresenta alternativas com vistas à eficácia do serviço de doação de sangue. A equipe responsável pelo site é composta por Italo Braz, Marcos Mateus do Carmo, João Roberto Cunha, João Vitor Lima, Aldenize Maycon, Fernanda, Érica Lobo e Melissa Dandara. O diferencial do site é que, caso um paciente em estado grave precise de sangue quando estiver internado em uma unidade hospitalar, dispõe de ferramenta que possibilidade a emissão de um aviso aos doadores com a mesma tipagem sanguínea para que se mobilizem a fazer a doação, além de informar aos doadores qual tipo de sangue está em falta e precisa ser reposto de forma mais urgente.

Saving Hope – Equipe responsável: Adriana Schillreff, Antônio Carlos, Flávia Marcela,  Manuela Higino, Morgana Botelho e Natália Reis. Os alunos perceberam que há uma falha de comunicação entre as ambulâncias e os hospitais, agravada pela demora do deslocamento e do pré-cadastro exigido na entrada do paciente. Esses fatores prejudicam a agilidade no atendimento e, por vezes, comprometem o salvamento de uma vida. “O projeto Saving Hope visa facilitar essa comunicação e diminuir o tempo de espera na recepção”, disse Morgana Dias, explicando que, de dentro da ambulância, um dos profissionais responsáveis pelo atendimento irá informar ao hospital, por meio de uma plataforma, o nome completo do paciente, idade, número da Carteira de Identidade, se possui carteira do Sistema Único de Saúde (Sus), o estado de saúde, bem como se precisará de atendimento de emergência. “Sabendo de todas essas informações básicas com antecedência, o hospital terá como se planejar para recebê-lo, inclusive verificar a disponibilidade e/ou fazer o acionamento de médicos especialistas para cada caso”, acrescentou.

As soluções foram criadas, basicamente, por meio das linguagens PHP, HTML, MySQL, CSS e Java Script, que permitiram o desenvolvimento dos projetos de forma prática e rápida.

Apenas os projetos Epidemus e Saving Hope serão exibidos na Mostra Tecnológica do V Forint. Mas, em 2017, a comunidade acadêmica do CBVC poderá conhecer o resultado dessas soluções quando forem aprimoradas e apresentadas como Startups.

Outros projetos que visam  ao desenvolvimento de soluções tecnológicas serão apresentados no V Forint.

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista Centro
24/11/2016