TÉCNICOS SUBSEQUENTES E SUPERIORES – Período de rematrícula vai até 8 de janeiro

por Virginia publicado 21/12/2020 08h40, última modificação 21/12/2020 08h40
Alunos dos cursos subsequentes que iniciaram em 2019.2 e dos cursos superiores que iniciaram em 2020.1 poderão renovar a matrícula no endereço suap.ifrr.edu.br.

Começou na última quarta-feira, 16, e segue até o dia 8 de janeiro de 2021 o período de rematrícula para os cursos e os módulos do ensino superior e para os cursos técnicos subsequentes do Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV/IFRR). É importante os estudantes ficarem atentos ao prazo, pois, caso não renovem suas matrículas, poderão perder o semestre letivo.

Alunos dos cursos subsequentes que iniciaram em 2019.2 e dos cursos superiores que iniciaram em 2020.1 poderão renovar a matrícula no endereço suap.ifrr.edu.br. Para isso, devem, primeiro, acessar o sistema com matrícula e senha. Na página inicial,  vai aparecer um alerta de renovação de matrícula. Depois, devem acessar o Q-Acadêmico, no endereço academico.ifrr.edu.br, onde farão a atualização cadastral e, por fim, será feita a renovação.

Ensino na Pandemia – Em relação ao enfrentamento da pandemia com a oferta de atividades de ensino não presenciais, o CBV, com as outras unidades do IFRR, vem trabalhando na perspectiva da adoção de novas estratégias, de flexibilização de rotinas, com o objetivo de acompanhar todos os estudantes. O diretor de Ensino da unidade, professor Ananias Noronha Filho, explica que alguns não tiveram condições de seguir acompanhando as atividades remotas e que, nesse sentido, o IFRR assume o compromisso de, tão logo as aulas presenciais serem retomadas, ofertar alternativas de recuperação e/ou nova oferta dos componentes para os estudantes que não puderam acompanhar as aulas remotas, seja por falta de conexão, seja por falta de equipamento. “Com base na Resolução 02 do Conselho Nacional de Educação (CNE), o comitê de crise, por meio do Grupo de Trabalho Calendário Acadêmico, deverá emitir uma nova norma que flexibilize as questões de avaliação, com o intuito de amenizar os efeitos da pandemia na vida escolar dos estudantes”, disse.

Entre as propostas que serão discutidas pela gestão está a possibilidade da oferta de exame final para aqueles estudantes que participaram das atividades não presenciais, mas não conseguiram aprovação. “Para todos esses que participaram, mas não foram aprovados, será ofertado o exame final para que possam ter a chance de fazer a recuperação. Outro compromisso do CBV, com base na Resolução 02 do CNE, é a realização de avaliações diagnósticas para avaliar a situação dos estudantes quando da retomada do ensino presencial. A intenção é manter o desenvolvimento das habilidades e das competências necessárias à formação profissional”, esclareceu Noronha.

Evasão – Ainda de acordo com o diretor de Ensino, os dados referentes à evasão escolar no período da pandemia ainda estão sendo fechados, mas avalia-se que, no ensino técnico integrado ao ensino médio, os índices estejam abaixo do previsto. “Estamos concluindo o levantamento. Então, podemos afirmar que tivemos algumas transferências para outros estados e escolas, mas não tivemos abandono. Já no ensino superior, os acadêmicos se esforçaram para acompanhar, e no técnico subsequente tivemos o maior número de evasões, o que já era esperado”, finalizou.

Assistência estudantil - A diretora-geral do CBV, professora Joseane de Souza Cortez, destacou outras importantes estratégias para manter o acesso e a permanência dos estudantes no campo da assistência estudantil. “O IFRR/CBV, coadunado com as políticas de assistência, vem oferecendo serviços de assistência estudantil que contribuem para o êxito e a permanência dos estudantes, entre eles a central de atendimento da Coordenação de Assistência ao Estudantes (Caes), que presta apoio psicológico, assistência social e médica, com atendimento virtual e/ou presencial.  Outro projeto que integramos foi o apoio com cartão de internet, uma ação do governo federal que busca facilitar o acesso remoto a partir do fornecimento de chips, que é denominada de "Projeto Alunos Conectados". Além disso, demos apoio a estudantes em vulnerabilidade cadastrados na assistência estudantil, que receberam cesta de alimentos a partir da verba do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), bem como a estudantes com problemas de saúde, beneficiando-os com equipamentos de apoio pedagógico, objetivando incluí-los no fazer educativo. Neste momento, estamos encerrando o primeiro semestre do ano letivo de 2020 e em janeiro recomeçamos com o segundo. Em meados de 2021, vamos iniciar o novo ano letivo”, explicou.

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista
21/12/2020