Aprovações em programas de pós-graduação confirmam qualidade da formação ofertada pelo IFRR

por Elias Freitas dos Santos publicado 11/10/2021 11h20, última modificação 28/10/2021 12h19
As aprovações confirmam a qualidade da formação ofertada pelo Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV/IFRR), que não só investe no desenvolvimento de programas de pós-graduação que promovem a verticalização do ensino mas também fomenta a participação de acadêmicos e egressos em seleções de programas de pós-graduação de outras instituições de ensino superior (IES).

A egressa do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Yarly Pereira da Silva e a acadêmica do mesmo curso Cristiane Oliveira de Jesus foram aprovadas, respectivamente, para cursar mestrado do Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais (Pronat/UFRR) e doutorado do Programa de Pós-Graduação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

Essa aprovação confirma a qualidade da formação ofertada pelo Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV/IFRR), que não só investe no desenvolvimento de programas de pós-graduação que promovem a verticalização do ensino mas também fomenta a participação de acadêmicos e egressos em seleções de programas de pós-graduação de outras instituições de ensino superior (IES). Além disso, ela representa a possibilidade do desenvolvimento de pesquisas em parceria com essas IES, pois muitos egressos acabam retornando para desenvolver seus projetos de pesquisa de forma integrada. 

Para a diretora-geral do Campus Boa Vista (CBV), professora Joseane Cortez, a aprovação de egressos do CBV/IFRR em programas de pós-graduação tem sido um sinal significativo para o olhar formativo das ações educacionais que a unidade mais antiga do instituto desenvolve. “Considerando as exigências teóricas e práticas exigidas nesses cursos, buscar essa excelência acadêmica é um compromisso que trazemos dia a dia. Entre as várias competências está aguçar a qualidade interpretativa, critico-reflexiva e o princípio investigativo, algo fundamental no processo formativo. Portanto, esses resultados fortalecem a missão institucional e o compromisso com a qualidade da nossa missão”, disse.

A egressa Yarly relatou que o apoio profissional recebido durante sua trajetória acadêmica foi decisivo para a aprovação no curso de mestrado. “Durante minha trajetória no curso de Ciências Biológicas, o IFRR e seus profissionais me ofereceram suporte para avançar em minha formação acadêmica. E a aprovação para cursar o mestrado em Recursos Naturais na UFRR é o resultado da persistência naquilo em que eu acredito, de bastante estudo para a prova, de um bom currículo Lattes e de uma boa bagagem estudantil, e isso eu consegui graças ao IFRR/CBV”, declarou.

Para a coordenadora do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do campus, professora Maria da Conceição Alves dos Santos, a aprovação de acadêmicos e egressos em programas de pós-graduação é motivo de muita alegria e satisfação. “É sempre uma alegria ver os acadêmicos dos cursos do CBV, em especial da Licenciatura em Ciências Biológicas, galgar novos degraus na vida acadêmica, demonstrando esforço e dedicação na busca de qualificação e na conquista de espaço no mercado de trabalho. Sem dúvida, essas aprovações são também reflexo da qualidade dos cursos pelos quais passaram. Portanto, é motivo de alegria para todos nós e nos incentiva a continuar fazendo nosso trabalho da melhor maneira. Destaco também os vários setores da unidade que contribuíram e que contribuem proporcionando aos acadêmicos a vivência científica por meio de oportunidades de desenvolvimento dos projetos desenvolvidos todos os anos”, afirmou.

Cristiane é outro exemplo de que dedicação e compromisso com os estudos são fatores decisivos para o sucesso acadêmico. “Eu terminei o ensino médio em 2002. Depois, me casei, tive meus filhos, mas percebi que tinha vontade de estudar, pois isso me fazia muita falta. Então, em 2014 decidi retomar os estudos. No início, senti dificuldade, mas a minha vontade de ter uma graduação era bem maior. Com o incentivo do meu orientador, continuei os estudos, fiz o seletivo para o mestrado em Agroecologia da Uerr e, neste ano, consegui passar para o doutorado do Inpa. Durante essa caminhada, tive excelentes professores que me incentivaram e que eram meus exemplos [referências]. Então, fui começando a traçar novos objetivos, ainda mais ousados. Aquele medo que existia e que me fazia acreditar que eu não era capaz foi ficando de lado. Fui me aprofundando nos estudos e focando em ingressar em instituições nas quais eu gostaria de estudar. Hoje estou no primeiro semestre do curso de Biologia de Água Doce e Pesca Interior (BADPI) do Inpa. Sinto-me muito agradecida e bastante entusiasmada para continuar buscando minha autonomia e independência profissional”, contou.

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista
11/10/21