CAMPUS DAY – Acadêmicos de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas vencem desafio de inovação

por Virginia publicado 17/05/2022 11h05, última modificação 17/05/2022 11h14
Os acadêmicos tiveram a ideia de criar uma plataforma de doação de sangue com gamificação, tendo como objetivo aumentar os estímulos para a doação de sangue para uma maior sensibilização e adesão popular.

Os acadêmicos do 6.° módulo do curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (Tads) do Campus Boa Vista (CBV) Lucas Rafael Monteiro de Lima e João Vitor Lima da Rocha foram os vencedores do Ideathon da Campus Day, evento de tecnologia, inovação e empreendedorismo realizado no último sábado, 14, em Boa Vista.

No Ideathon da Campus Day, o desafio era propor uma solução tecnológica com foco no fomento de políticas públicas, por parte do poder público, facilitando a comunicação com o cidadão. “Tivemos a ideia de criar uma plataforma de doação de sangue com gamificação, tendo como objetivo aumentar os estímulos para a doação de sangue para uma maior sensibilização e adesão popular. Por meio de acúmulo de pontos a cada doação e outras atividades relacionadas, o cidadão terá direito às recompensas definidas a partir de parcerias com os setores público e privado”, explicou João Vítor.

Segundo o acadêmico, a participação em eventos na área de tecnologia e de ideação, como a do Campus Day contribui para o processo de formação e desenvolvimento do estudante, de forma prática e motivadora. “Super recomendo a participação dos alunos em eventos desse tipo, tanto na Campus como no Startup Day, no projeto Doutores da Informática, desenvolvido pelo CBV, e em outros projetos já promovidos em Boa Vista, e em todos os processos de desenvolvimento que levem o estudante a ter elevado nível de pensamento crítico, levando em consideração não somente o desenvolvimento da solução, mais o pensamento sobre as regras dos negócios, e viabilidade da ideia”, acrescentou.

O Lucas já é um campuseiro experiente. Ele esteve na Campus Party Brasil, em São Paulo, em 2019. Naquela edição, apresentou, com outro acadêmico de Tads, Elias Freitas, o “Jogo Pathfinder: um modelo de gamificação aplicado às atividades do ensino médio”. Para Lucas, sua experiência, acumulada pela participação em uma edição anterior, ajudou bastante no desenvolvimento da ideia. “Na primeira vez em que estive na Campus Party Brasil, pensamos em uma solução que pudesse aumentar o engajamento dos estudantes no âmbito escolar. Isso ocorreria por meio de um jogo que envolve o aluno, o professor e o corpo pedagógico da escola. Durante o evento, tive contato com muitas palestras, dinâmicas e pessoas incríveis que me fizeram ver o mundo de uma nova forma. Agora, nessa nova oportunidade de voltar à Campus, me sinto ainda mais preparado para contribuir com os outros campuseiros e me desenvolver ainda mais”, relatou.

O vencedor da Campus Day incentiva outros jovens a participar de eventos na área de tecnologia. “A tecnologia nasceu para resolver problemas, e o IFRR, desde o meu ensino médio, e agora no superior, me oportunizou a pensar em soluções que pudessem melhorar a vida das pessoas. Eu encorajo todos os estudantes a participarem de eventos como esse, pois são oportunidades de tirar ideias do papel, desenvolver habilidades de negócios, resolução de problemas e criatividade. Além de poder conhecer pessoas novas e contribuir para o ecossistema de inovação”, finalizou Lucas.

Premiação – Pelo brilhante resultado no evento, João e Lucas ganharam uma entrada para qualquer edição da Campus Party Brasil, que ocorrerá em 2022, incluindo barraca e passagens aéreas.

O professor do curso Técnico em Informática do CBV, Vinícius Tocantins, que é o embaixador da Campus Party em Roraima, foi mentor do Ideathon e palestrante. Ele afirma que a Campus Day foi uma excelente oportunidade de incentivo e inspiração para o desenvolvimento de ideias em Boa Vista, dentro de uma plataforma que uniu tecnologia, empreendedorismo e inovação.

“Foi um evento que reuniu um conjunto de palestras, painéis temáticos, exposição de startups, robótica e um ciclo de desenvolvimento de ideias. A vitória do projeto encabeçado pelos alunos Lucas e João é um resultado muito positivo, reflexo da política de desenvolvimento de startups que o Campus Boa Vista vem desenvolvendo nos últimos anos, além da verticalização do ensino técnico e superior, em especial nos cursos de Informática e Análise de Sistema. Resultados como esses nos motivam, como servidor, a cada vez mais pensar em soluções que dialoguem com problemas reais da sociedade e o mundo do trabalho”, disse.

 

Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista
Fotos: G1/RR e arquivo pessoal. 
17/5/22