História de Boa Vista é retratada por meio do projeto Memórias do Lavrado

por Virginia publicado 02/12/2016 13h15, última modificação 02/12/2016 13h15
A história da cidade Boa Vista e de sua geografia peculiar, caracterizada pelo lavrado, retratada de uma forma diferente e mais artística, essa é a proposta do projeto Memórias do Lavrado, desenvolvido por 280 alunos dos primeiros anos dos cursos técnicos em Eletrônica, Secretariado, Informática, Edificações e Eletrotécnica integrados ao ensino médio, do Campus Boa Vista Centro (CBVC), e coordenado pelos professores Wemerson Antonio Soares (História), Josefa Edinalva de Azevedo Vieira (Geografia), Erika Viana de Sena (Filosofia), Hermes Barbosa de Melo Filho (Material e Métodos), Ana Maria Alves de Souza (Língua Portuguesa) e Roseli Anater (Artes).

A história da cidade Boa Vista e de sua geografia peculiar, caracterizada pelo lavrado, retratada de uma forma diferente e mais artística, essa é a proposta do projeto Memórias do Lavrado, desenvolvido por 280 alunos dos primeiros anos dos cursos técnicos em Eletrônica, Secretariado, Informática, Edificações e Eletrotécnica integrados ao ensino médio, do Campus Boa Vista Centro (CBVC), e coordenado pelos professores Wemerson Antonio Soares (História), Josefa Edinalva de Azevedo Vieira (Geografia), Erika Viana de Sena (Filosofia), Hermes Barbosa de Melo Filho (Material e Métodos), Ana Maria Alves de Souza (Língua Portuguesa) e Roseli Anater (Artes).

Memórias do Lavrado foi financiado pelo Programa Institucional de Fomento ao Desenvolvimento de Projetos de Práticas Pedagógicas Inovadoras (Inova-IFRR) e prevê a produção de um livro didático com ilustrações e poemas produzidos pelos alunos destinado a estudantes do ensino fundamental. “As produções ganharam forma a partir da realização de uma oficina, na qual trabalhamos, de forma integrada, técnicas de produção de texto, ilustração com giz, fundamentos históricos e geográficos, que culminaram em um seminário sobre memórias, realizado neste segundo semestre”, relatou o professor Wemerson.

Ele explicou que alguns eixos foram adotados como pontos de referência para o trabalho de resgate histórico, tais como a figura do índio, a pecuária e a mineração, com base em autores que escreveram sobre a história da cidade. “Propusemos a interpretação das imagens relacionadas aos momentos históricos da fundação de Boa Vista, do processo de urbanização e da Boa Vista de hoje, com suas belezas naturais, monumentos e demais espaços públicos”, complementou.

A professora Edinalva disse que, inicialmente, os alunos foram desafiados a registrar aquilo que mais lhes chamava a atenção na cidade, observando os aspectos históricos e geográficos. Por meio disso, foram incentivados a pesquisar e conhecer um pouco mais sobre a construção de Boa Vista.

Varal – Durante o V Fórum de Integração: Ensino, Pesquisa, Extensão e Inovação Tecnológica do IFRR (Forint), realizado nos dias 28 e 30 de novembro, o projeto Memórias do Lavrado foi apresentado em forma de um varal com a exposição das ilustrações e dos poemas produzidos. Layfanny Kennia Silva Rodrigues, do 1.º ano do curso Técnico em Secretariado integrado ao ensino médio, diz que nunca havia se interessado pela história da cidade antes e que também, nas escolas onde estudou, não lhe foi proposto o estudo da disciplina de forma tão inovadora e prazerosa. “Me interessei porque os professores nos motivaram a conhecer não só a história, mas os pontos turísticos e, assim, pude aprender um pouco mais sobre minha cidade”, relatou. Ela escreveu o poema Existência, que retrata principalmente a influência indígena no processo de desenvolvimento histórico de Boa Vista, com destaque para o garimpo.

“Eu não tinha muita informação sobre a fundação da cidade, mas, com o projeto, pude ampliar meus conhecimentos. Todas as disciplinas envolvidas foram fundamentais para obtermos o resultado”, disse o aluno Leonardo Henrique Santos Araújo, do 1.º ano do curso Técnico em Edificações integrado integral ao ensino médio, que escreveu o poema O Lavrado, que conta a história de uma personagem que, ao chegar a Boa Vista, ficou encantada, apaixonou-se pelo local e teve sua vida transformada.

Não resta dúvida de que o Memórias do Lavrado tem relevância pedagógica e despertou nos alunos o gosto pela descoberta, pela produção artística e cultural. Em breve a comunidade acadêmica será presenteada com a publicação do livro didático, o qual será traduzido para as línguas espanhola, macuxi e brasileira de sinais (Libras), um diferencial que agregará valor ao material, não só histórico, mas sobretudo social e cultural.

 

Virginia Albuquerque

CCS/Campus Boa Vista Centro

2/12/2016