Projeto de Karatê inova na pandemia com aulas virtuais

por Virginia publicado 22/03/2021 10h22, última modificação 22/03/2021 10h22
O projeto de extensão Karatê-Do, do Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV/IFRR), permaneceu atendendo os alunos de forma virtual na pandemia. As aulas ocorreram de fevereiro a dezembro de 2020, por meio de vídeos publicados no YouTube.

O projeto de extensão Karatê-Do, do Campus Boa Vista do Instituto Federal de Roraima (CBV/IFRR), permaneceu atendendo os alunos de forma virtual na pandemia. As aulas ocorreram de fevereiro a dezembro de 2020, por meio de vídeos publicados no YouTube.

Dois voluntários e um professor foram os responsáveis pelo projeto, do qual participaram 58 alunos-atletas. O principal objetivo da ação foi propiciar o crescimento e o desenvolvimento harmônico das potencialidades psicomotoras, cognitivas, efetividade e de integração social pelos fundamentos básicos do karatê.

A diretora de Extensão do Campus Boa Vista (CBV) e coordenadora do projeto, professora Marilda Vinhote Bentes, falou sobre os desafios e as conquistas obtidas com a ação. “Foi possível desenvolver as potencialidades dos alunos, uma vez que desenvolveram suas habilidades e competências em cada aula, construindo conhecimento prático e teórico que favoreceu o desempenho nos treinos e nas competições. Já obtivemos, ao longo do projeto, trocas de faixas, tanto da branca para a amarela quanto da amarela para a vermelha, assim como da verde para a roxa, tudo isso em meio à pandemia, com prova teórica e teste prático, via banca da Federação Roraimense de Karatê”, disse.

Financiamento – O projeto Karatê-Do foi executado, em 2020, com recursos financeiros oriundos do Tribunal de Justiça de Roraima, por meio da Vara de Execuções de Penas e Medidas Alternativas (Vepema), conforme o Edital 002/2019/VEPEMA/TJRR, no valor de R$ 11.979,80, que foram investidos na compra de materiais e kimonos.

Para participar da seleção desses editais do TJRR, as instituições devem apresentar projetos sociais nas áreas de educação e segurança pública, bem como em outras áreas relacionadas ao desenvolvimento social.

Esse foi o primeiro ano em que o CBV foi contemplado nesse tipo de edital. A proposta da Direx é que o projeto continue sendo realizado, mesmo sem os recursos da Vepema, por meio de outros editais de financiamento.

 
Virginia Albuquerque
CCS/Campus Boa Vista
22/3/21